DONAR AGORA
 
Os cristãos no Credo professam a fé no Espírito Santo, que é Deus, "Senhor e doador da vida". Ele é a fonte inesgotável da vida divina em nós. Ele é "a água viva" que Jesus prometeu à mulher samaritana para saciar a sede para sempre, para satisfazer os desejos mais profundos e mais elevados do coração humano. Pois Jesus "veio para que tenham vida e a tenham em abundância". (Jo 10,10)

Quem é o Espírito Santo?

O Espírito Santo que é uma das três pessoas da Santíssima Trindade.. Vem do Pai e do Filho. Cristo derramou-o nos nossos corações, para nos fazer filhos de Deus e para guiar, animar e alimentar as nossas vidas.

É precisamente isto que queremos dizer quando dizemos que o cristão é um homem espiritual: uma pessoa que pensa e age de acordo com o Espírito Santo que é a sua inspiração.

Mas ao adorar a Santíssima Trindade que dá vida, consubstancial e indivisível, a fé da Igreja também professa a distinção das Pessoas. Quando o Pai envia a sua Palavra, ele também envia o seu Sopro: uma missão conjunta na qual as pessoas da Santíssima Trindade são distintas mas inseparáveis. Sem qualquer dúvida, É Cristo que se manifesta, a imagem visível do Deus invisível, mas é o Espírito Santo que o revela.. Catecismo da Igreja Católica 687-689

A vinda do Espírito Santo

Antes da Ascensão, Jesus tinha ordenado aos discípulos "não deixarem Jerusalém, mas esperarem pela promessa do Pai". Porque João realmente baptizou com água", disse-lhes ele, "mas vós sereis baptizados com o Espírito Santo não daqui a muitos dias". Quando chegar a si, você será testemunha em Jerusalémem toda a Judeia, em Samaria, e até aos confins da terra.

Alguns dias mais tarde, São Lucas continua, "quando estavam todos juntos, de repente veio do céu um som como de um vento forte e impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados; e apareceram-lhes línguas como de fogo, e ele sentou-se sobre cada um deles. Y Todos eles foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas.".

Neste dia, a Santíssima Trindade é plenamente revelada e a partir desse momento o Reino proclamado por Cristo está aberto a todos os que acreditam n'Ele.

A missão do Espírito Santo

Jesus só revela completamente o Espírito Santo depois da sua Ressurreição. No entanto, ele sugere-o pouco a pouco, mesmo nos seus ensinamentos à multidão, quando ele revela que a sua Carne será alimento para a vida do mundo. Ele também sugere isto a Nicodemos, à mulher samaritana e àqueles que participam na festa dos Tabernáculos.

Aos seus discípulos ele fala dele abertamente sobre a oração: é gravado por São Lucas no versículo 11 do seu EvangelhoSe vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo àqueles que lhe pedirem".

E quando lhes explica o testemunho que terão de dar, diz: "Quando for preso, não se preocupe com o que vai dizer ou como vai falar. Quando esse momento chegar, ser-lhe-á dito o que tem a dizer. Porque não és tu que vais falar, mas o Espírito do Pai que vai falar por ti". Catecismo da Igreja Católica 689-690

O Paráclito, que é o próprio Deus que se dá a nós para nos tornar participantes da sua natureza divina. Ele actua em nós dando-nos a consolação interior, que podemos experimentar como um aumento de fé, esperança, caridade, paz ou alegria que nos atrai até Ele.

Ninguém pode dizer: "Jesus é o Senhor" senão pelo Espírito Santo", diz São Paulo na Epístola aos Coríntios. E na Epístola aos Gálatas: "Deus enviou aos nossos corações o Espírito do seu Filho, que clama: 'Abbá, Pai'".

Maria-Santa-Esposa-do-Espírito-Santo

O Espírito Santo e a Virgem Maria

Preparou Maria com a sua graça. Maria, "cheia de graça", Mãe d'Aquele em quem "habita corporalmente toda a plenitude da divindade".

Em Maria, a Graça Divina cumpre o benevolente desígnio do Pai. A Virgem concebe e dá à luz o Filho de Deus através da obra do Espírito Santo. A sua virgindade torna-se uma fecundidade única através do poder do Espírito e da fé.

Em resumo, através de Maria, o Espírito Santo começa a trazer as pessoas para a comunhão com Cristo. "objeto do amor benevolente de Deus". Catecismo da Igreja Católica 721-726

O Espírito Santo na vida do cristão

O conhecimento da fé só é possível na Graça Divina. Para entrar em contacto com Cristo, é necessário antes de mais nada ter sido atraído pela Graça Divina. Ele, com a Santíssima Trindade, vem habitar na alma através do sacramento do Baptismo. O Espírito Santo, com a sua graça, é o "primeiro" que nos desperta para a fé. e inicia-nos na nova vida de conhecer o único Deus verdadeiro e o único Deus enviado a nós, Jesus Cristo. Catecismo da Igreja Católica 737-742

É impossível viver uma vida cristã sem a Graça Divina, pois ela é nossa companheira e protagonista das nossas vidas, disse o Papa Francisco durante a sua homilia na capela da Casa Santa Marta.

"Você não pode andar numa vida cristã sem o Espírito Santo".O Papa Francisco disse, acrescentando que devemos pedir ao Senhor a graça de compreender esta mensagem, porque "Ele é o nosso companheiro de viagem".

O Santo Padre explica que sem o Espírito Santo, que é a nossa força, nada podemos fazerO Espírito "faz-nos subir dos nossos limites, dos nossos mortos, porque temos tantas, tantas necroses na nossa vida, na nossa alma". É portanto necessário que os cristãos lhe dêem um lugar na nossa existência.

Além disso, o Papa sublinhou que uma vida cristã que não reserva espaço para o Espírito Santo e não se deixa guiar por Ele "é uma vida pagã, disfarçada de cristã". Ele é o protagonista da vida cristã, o Espírito que está connosco, que nos acompanha, que nos transforma, que nos conquista.

Em Santa Marta, Francisco apelou ao Papa para todos os católicos devem estar conscientes "de que não podemos ser cristãos sem caminhar com o Espírito Santo".sem agir com Ele, sem o deixar ser o protagonista das nossas vidas".

 
 
YouTube Default (13:54)
 

O Papa Francisco explica a fé no Espírito Santo. 
Audiência Geral: A catequese do Papa Francisco para o Ano da Fé.

Os símbolos do Espírito Santo na Igreja

Água a partir de Baptismo significa a acção da Graça Divina na alma.

O incêndio porque na forma de línguas "como de fogo" o Espírito veio sobre os discípulos na manhã de Pentecostes e encheu-os com Ele.

La Paloma porque quando Cristo sai da água do Seu batismo, o Espírito Santo, em forma de pomba, desce e repousa sobre Ele.

Uma invocação ao Espírito Santo

O termo "Espírito" traduz a palavra hebraica Ruah, que no seu primeiro significado significa fôlego, ar, vento.

Jesus, ao anunciar e prometer a vinda do Espírito Santo, chama-lhe "Paráclito", que geralmente se traduz por "Consolador". Chama-lhe também "Espírito de Verdade".

São Paulo refere-se a Ele como o Espírito da promessa, o Espírito da adoção, o Espírito de Cristo, o Espírito do Senhor, o Espírito de Deus, e em São Pedro, o Espírito da glória.

Por outro lado, a igreja considera o Espírito e o Santo como atributos divinos comuns às três Pessoas divinas. Mas ao unir os dois termos, Escritura, liturgia e linguagem teológica designam a pessoa inefável do Paráclito, sem qualquer equívoco possível com os outros. O mistério da cruz de Cristo e assim o significado cristão do sofrimento, são iluminados quando consideramos que é o Espírito Santo que nos une no Corpo Místico (a Igreja).

Em 1971 São Josemaria compôs a invocação à Graça Divina, que foi renovada todos os anos desde então em todos os centros do Opus Dei na Solenidade de Pentecostes.

Vem, Espírito Santo,
encham os corações dos seus fiéis,
e acenda neles o fogo do seu amor.

Envie o seu Espírito Criador
e renova a face da terra.

Oh Deus,
que você iluminou os corações dos seus filhos
com a luz do Espírito Santo;
torna-nos dóceis às suas inspirações
para saber sempre bem
e desfrutar do seu conforto.

Através de Cristo Nosso Senhor.
Amém.

Os dons do Espírito Santo

Os dons do Espírito Santo infundidos na alma do cristão levam as virtudes à perfeição e tornam os fiéis dóceis para seguir as inspirações divinas prontamente e amorosamente nas suas acções diárias. Catecismo da Igreja Católica 1830-1831. Os seus dons são dados no Sacramento do Baptismo e reforçados na Crisma, mas devemos desenvolvê-los ao longo da nossa vida cristã.

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, Os seus dons são sete: sabedoria, compreensão, conselho, fortaleza, conhecimento, piedade e o temor de Deus.. Eles apoiam o a vida moral de um cristão e torná-lo dócil e sensível à vontade de Deus.

São Paulo diz que a existência do cristão é animada pela Graça Divina e rica nos seus frutos, que são: "Amor, alegria, paz, compreensão, ajuda, bondade, bondade, lealdade, mansidão, domínio próprio" (Gal 5,22-23).

O dom precioso do Espírito Santo é a própria vida de Deus, como seus verdadeiros filhos pela sua adopção.

"Não se esqueça de que é um templo de Deus. O Paráclito está no centro da sua alma: escute-o e acolha docilmente as suas inspirações".

Camino, 57, San Josemaría.

Presente de Aconselhamento

No momento em que o acolhemos e o levamos no nosso coração, o Espírito Santo começa a tornar-nos sensíveis à sua voz e a orientar os nossos pensamentos, os nossos sentimentos e as nossas intenções de acordo com o coração de Deus.

Leva-nos a virar o nosso olhar interior para Jesus como modelo da nossa maneira de agir e de nos relacionarmos com Deus Pai e com os nossos irmãos e irmãs.

Presente de compreensão

Este dom do Espírito Santo está relacionado com a fé. Quando o Espírito Divino habita nos nossos corações e ilumina as nossas mentes, faz-nos crescer dia após dia na nossa compreensão do que o Senhor disse e fez.

Para compreender os ensinamentos de Jesus, para compreender o Evangelho, para compreender a Palavra de Deus.

Presente de Sabedoria

A sabedoria como a graça de poder ver tudo com os olhos de Deus: ver o mundo, ver situações, ocasiões, problemas, tudo, com os olhos de Deus.

Dom da fortaleza

Há muitos homens e mulheres que honram a nossa Igreja, porque são fortes na condução das suas vidas, das suas famílias, do seu trabalho e da sua fé. Agradeçamos ao Senhor por estes cristãos que vivem uma santidade oculta: é o Espírito Santo que os conduz.

Presente da Ciência

No Génesis é enfatizado que Deus está satisfeito com a sua criação, sublinhando repetidamente a beleza e bondade de tudo. No final de cada dia, está escrito: E Deus viu que era bom.

Se Deus vê que a Criação é uma coisa boa, uma coisa bonita, nós também devemos assumir esta atitude. Aqui está o dom da ciência que nos faz ver esta beleza; louvemos a Deus, agradeçamos-Lhe por nos ter dado tanta beleza.

Presente de Misericórdia

Este dom indica a nossa pertença a Deus e o nosso vínculo profundo com Ele, um vínculo que dá sentido a toda a nossa vida e nos mantém firmes, em comunhão com Ele, mesmo nos momentos mais difíceis e tempestuosos.

É um relacionamento vivido com o coração: é a nossa amizade com Deus, dada por Jesus, uma amizade que muda as nossas vidas e nos enche de entusiasmo e alegria.

Presente do Medo de Deus

É o dom do Espírito que nos lembra como somos pequenos diante de Deus e do seu amor, e que o nosso bem reside em abandonar-nos humildemente, com respeito e confiança nas suas mãos. Este é o temor de Deus: abandono à bondade do nosso Pai que nos ama muito.

Voltemo-nos para o Espírito Santo

O guia que nos conduz pelo caminho do bem na nossa vida diária é o Espírito Santo. Dependemos do seu trabalho para viver de acordo com a Palavra, para compreendê-la, para guiar o nosso caminhar no caminho da santidade, para agir de forma justa. Ele enche-nos de amor, paciência, paz, alegria, bondade, mansidão, mansidão, doçura, doçura, dá-nos fé.


Bibliografia

Catecismo da Igreja Católica.
OpusDei.org.
RomeReports